A PRÁTICA VAMPÍRICA

página 1 de 2
PRÓXIMO >>>

Philip_Burne-Jones_O_vampiro_1897
Philip Burne-Jones
O Vampiro (1897)

Como é o ato de vampirizar? 
A prática vampírica ficou já relativamente implícita no tópico "O QUE É SER UM VAMPIRO?", no entanto algumas coisas podem ser acrescentadas.

Este site não trata de vampirismo de sangue, por considerar uma prática perigosa, mesmo quando se tomam todos os cuidados. Há perigo de hemorragia, infecção no local e acima de tudo o da transmissão de doenças como AIDS, doença de chagas, e inúmeras outras. Nenhum controle é totalmente eficaz para se evitar estes riscos. Conhecemos vários vampiros de sangue, mas não iremos ensinar algo que pode ser fatal a uma pessoa, especialmente porque, através do vampirismo de energia pode-se obter a mesma energia vital que se obtém pelo sangue, mas agora sem riscos.

O vampirismo de energia se dá de várias formas, mas sempre essencialmente drenando energia vital de um ambiente, objeto, vegetais, animais ou seres humanos, através do poder da vontade, que no plano astral é capaz de mover esta energia da origem em direção ao vampiro. Acima de tudo é uma meditação, visualização através da vontade, que o vampiro "vê" saindo da origem para ele, na forma de luz colorida (matéria etérico/astral), isto é, de energia etérica, astral (emocional) e mental, ou dito de outra forma, na forma de vitalidade sensorial, emocional e mental, assim como emoções e pensamentos que advém conjuntamente com a vitalidade correspondente, e dentre as muitas formas podemos destacar as seguintes:

1) POR CONTATO FÍSICO: como ao dar as mãos, abraçar, ou fazer sexo.


2) POR PROXIMIDADE: drena energia vital de sua proximidade, visualizando correntes de energia, ou "canais" psíquicos, astrais, mentais que conduzem energia da origem para o vampiro.


3) POR DESDOBRAMENTO: o vampiro desdobra de seu corpo físico, deslocando sua alma, seu centro de consciência para longe de seu corpo material deitado ou sentado, e então vampiriza à distância, por "contato astral".

PRÓXIMO >>>