O DESPERTAR

página 1 de 7

PRÓXIMO >>>


A mais antiga descrição de uma prática de vampirismo mental, místico e como forma de magia. Parede Leste da antecâmara do sarcófago
da Pirâmide de Unas - Saqquara - aprox. 2350 A.C.



Dentro da subcultura vampírica chama-se de "despertar" ao processo pelo qual uma pessoa passa na tomada de consciência de sua condição vampírica, isto é, de sua descoberta de ser ela mesma um vampiro.

O despertar para a condição vampírica teve um início? Terá um fim? O que vem a ser?
Se o Ser vampiro(a) é mais que uma escolha, mas antes algo que trazemos, quer biologicamente, quer espiritualmente desde o nascimento e antes mesmo disto, de vidas passadas, então quando iniciou nosso despertar para esta condição? Por que fases passou, passa ou passará? Ou será algo não de nascença, mas passível de se obter por iniciação, magia e alquimia pessoal?

Em verdade existem duas vertentes, aqueles que acreditam que qualquer pessoa pode se tornar um vampiro real através de magia e alquimia pessoal, e aquela que pensa que nascemos com esta tendência, nascemos vampiros inconscientes, e o Ser vampiro seria mais que uma escolha, mas antes algo que trazemos na forma de uma essência interior, quer biologicamente, quer espiritualmente desde o nascimento e antes mesmo disto, de vidas passadas.

Falarei apenas do vampirismo de energia, que é no qual despertei eu mesmo, e para o qual estou despertando até hoje, e dentro da tradição ocultista teosófica de Madame Blavatsky no século XIX que sigo.

O vampiro naquela vertente que considera o vampirismo algo de nascença, algo que se nasce e não pode ser obtido pela vontade, drenaria energia vital inconscientemente ao seu redor, e o "despertar" seria apenas a conscientização disto, após o que passaria a fazer este procedimento de forma consciente e mais elaborada.

Ocorrem por vezes alguns sintomas, tais como uma fraqueza contínua sem uma causa especifica, tonturas, uma estranha falta de “ar”, resfriados frequêntes, problemas pulmonares, cardíacos, palpitações, dores de cabeça, irritabilidade sem causa específica, debilidades várias que variam quantitativa e qualitativamente de pessoa para pessoa.

A causa de tal indisposição seria a falta de energia vital ou prâna, conforme denominação da tradição indiana, e o vampiro em potencial sofreria as consequências por esta falta crônica de energia.

PRÓXIMO >>>