CÓDIGO DE ÉTICA

página 1 de 3

PRÓXIMO >>>



Crânio encontrado em 2009 em uma sepultura na forma de vala comum em um cemitério do século XVI na ilha de Lazzaretto Nuovo, próxima a Veneza, Itália, por equipe arqueológica da Universidade de Florença chefiada por Matteo Borrini, indicando um ritual executado sobre uma mulher já morta e que exibia sinais que a fizeram suspeita de vampirismo, isto é, de que sua alma voltava da sepultura para vampirizar os vivos à semelhança dos fantasmas, dissiminando doenças e epidemias, pelo que em sua boca se introduziu um tijolo no intuito de que não pudesse continuar a vampirizar.
Há achados semelhantes na Polônia.


A Subcultura Vampírica e Vampyrica
tal como veio a ser conhecida e criada recentemente (a partir da década de 70 do século XX, se fortalecendo especialmente a partir da década de 90) nos Estados Unidos da América, e não se deve confundí-la com diversas outras subculturas e experimentações misticas com o vampirismo espalhadas ainda hoje por todo mundo, desenvolveu um código de ética para conter eventuais excessos. Este código de ética é conhecido como Black Veil e foi criado originalmente por Father Sebastiaan da House Sahjaza, em 1998 (há quem diga em 1997, há quem diga em 1999), sendo conhecida como versão versão 1.0, e que pode ser lida na íntegra em:

http://www.sanguinarius.org/articles/black_veil_1.shtml .

Ele foi o fundador da organização denominada "Sanguinarium" em 1993 (não confundir a "Sanguinarium" com a "Sanguinarius" que são entidades distintas), organização esta que reunia diversas organizações e tradições ligadas ao vampirismo. Posteriormente o mesmo Sebastian fundará a Ordo Strigoi Vii.

Em 2000 o Black Veil passou por uma primeira revisão por um trabalho conjunto de Michelle Belanger, fundadora da House Kheperu, juntamente com Father Sebastiaan, quando passou a ter 13 regras, ou o Black Veil 2.0, como ficou conhecido. Os autores autorizam sua reprodução em outros sites, desde que sem alterações e citando a autoria, mas como é impossível fazer uma tradução sem alterar (na famosa regra de que todo tradutor é traidor...), nos reservamos o direito de não traduzir. Mas pode ser visto na íntegra na seguinte página do site da Sanguinárius: http://www.sanguinarius.org/articles/black_veil_2.shtml .

Em outubro de 2002 fizeram os dois autores citados com a participação de vários outros de diversas tradições, uma nova revisão do Black Veil de 2000, passando de 13 para 7 tradições ou filosofias de ética, não regras a serem impostas, conforme pode ser lido
pelo site da Psychic Vampire. org: http://psychicvampire.org/blackveil.htm .



PRÓXIMO >>>