A ORIGEM
DA PALAVRA VAMPIRO

página 2 de 2
<<< VOLTA



Isto é importante, pois não devemos confundir a palavra vampiro com a prática Vampírica!

De fato, se existe algo em comum em todas estas teorias etimológicas da origem do termo “vampiro”, é que deve ter se originado em algum local no Leste Europeu. Porém isto não nos autoriza a dizer que só podemos chamar de “vampiros” aqueles seres praticantes ou que eram ditos praticantes de vampirismo nos mitos Eslavos, Romenos, Gregos, Sérvios, etc, e que seria incorreto chamar de vampiros os mitos que exibem práticas vampíricas entre outros povos e culturas, como os que ocorrem entre os Egípcios, Hindus, Assírio-Babilônicos, Árabes etc.

Uma afirmação destas não tem o menor amparo antropológico!

É o mesmo que afirmar que só podemos chamar de “magos”, os praticantes de magia da tribo dos “magos”, uma tribo que pertencia aos povos e cultura dos  Medas, tribo esta que deu origem à palavra “magia” que atualmente usamos. A antropologia usa o termo “magia”, para os mais diversos povos e contextos culturais desde o passado arcaico às práticas modernas em todos os continentes, pois não podemos confundir, como já dissemos, a palavra com a prática...

Assim, embora a palavra “vampiro” esteja intimamente associada às culturas que se desenvolveram no Leste da Europa, é antropologicamente correto usar esta palavra fora de seu contexto cultural, na medida em que tenhamos consciência que estamos descrevendo uma prática similar, no caso o vampirismo, e não dizendo que o mito do vampiro Romeno seja igual ao mito do vampiro Hindu. Os mitos e contextos culturais são diferentes, porém as práticas de magia e vampirismo entre estes povos e muitos outros são semelhantes... a ponto de nos permitir usar uma “palavra única” para indicar uma ação “única”, ainda que esta ação possa e deva ser interpretada e julgada de formas diferentes em povos diferentes.

Assim o vampirismo na Romênia foi associado ao "mal" pelas autoridas cristãs do século XVIII, porém na Índia tais entidades são associadas a Kali e ao "bem" e por vezes até à santidade, pelas autoridades hinduístas. Ainda assim... ambas praticam a ação de vampirizar...

BIBLIOGRFIA
SUMMERS, Montague, Vampires and Vampirism, New York: Dover Publications, 2005.
DUNDES, Alan, The Vampire, London: The University of Wisconsin Press, 1998.


. . .



<<< VOLTA