ENTREVISTA
COM

DIEGO KING

página 1 de 6

PRÓXIMO >>>


Diego King

Quero agradecer Diego King pela gentileza de conceder esta entrevista ao site Sagrado Vampírico. Diego hoje é um dos mais ativos divulgadores no Brasil do vampirismo real dentro da senda vampírica por ele seguida, através de vários artigos em que assina como "INKUBUS KING", publicados pelo site "MORTE SÚBITA", além de outras iniciativas em que se destaca, ao nosso ver, por seu estilo direto e incisivo. É uma honra para nós entrevistá-lo, assim como conhecer um pouco melhor seu pensamento, experiência e filosofia!

Vamos à entrevista:

Sagrado Vampírico: Como você conheceu a prática do vampirismo de energia vital e como ele entrou na sua vida?

Diego King: Em 2003 eu entrei para o Templo de Satã, e lá conheci o vampirismo, numa tradução da Bíblia do Vampiro, traduzida pelo frater Oz. Comecei a praticar logo que li, de primeira, já fui fazer a comunhão com os mortos vivos e desenvolver a drenagem. Eu tinha 13 para 14 anos na época. Nessa época também conheci o Anton, e o fórum da TOV era público, então eu pude acessá-lo, até eles banirem todos os não membros do fórum. De lá para cá, eu só fui desenvolvendo, particularmente e com amigos íntimos, aos quais trocávamos experiências.


Sagrado Vampírico: O que para você define um vampiro de energia vital? Quando efetivamente podemos nos reconhecer como sendo um e não como uma simples fantasia de nossa mente?

Diego King: Primeiro, eu não defino, 'vampiro de energia vital'. Vampiro é Vampiro. Não existe essa se vampiro emocional, sexual, psy ou sanguíneo. O cara quer retirar a vitalidade de outrem, não importa de que forma isso venha. Vampirismo é uma disciplina metafísica. Eu guardo uma tradição, ensinada publicamente por uma ordem específica. O vampiro não é um ser, é uma prática - retirar energia vital de uma pessoa, é algo comum, tosco até. Qualquer um pode ser um vampiro, desde que aplique as práticas e obtenha sucesso com elas. Entre ser um vampiro, e ser um bom vampiro há diferença. Treino mental e muita prática. O que diferencia alguém que sabe nadar e um nadador profissional? Eu não vejo nada demais em ser vampiro, até porque é o que mais tem por aí, pessoas praticando vampirismo. Drenar energia vital não é nada, nada demais. Agora quando a pessoa consegue ou busca a maestria no desdobramento astral, nas nove leis da magia e a perfeita mudança de paradigmas sobre a realidade, o contingente humano,
sobre o Sonho. Aí sim, eu bato palmas.

Do contrário, é mais um inútil, bebendo prana a toa.

PRÓXIMO >>>