página 2 de 5

<<< VOLTA                                              PRÓXIMO >>>

Sagrado Vampírico: Hoje você tem ligação com uma organização Vampyrica,
a Ordo Strigoi Vii (OSV). Quais seus pensamentos sobre a mesma e se esta associação influência de alguma maneira o Valsa Rubra e seus projetos?

Calista: É uma Ordem da qual tenho orgulho de ter conhecido e ter feito contato. A única influência que vem da OSV para o Valsa Rubra por conta da minha ligação é a ideia de sempre manter um alto padrão de conduta e de Glamour, mas diretamente em seu conteúdo informativo e projetos futuros não há
nenhuma influência da mesma.


Sagrado Vampírico: Hoje há muitos assuntos ainda bem polêmicos dentro da subcultura vampírica, com muitos pontos de vista divergentes. Esta diversidade indica algo favorável ou desfavorável? O que pensa desta diversidade?

Calista: É um ponto positivo contanto que os integrantes da Subcultura Vampyrica saibam distinguir entre suas preferências pessoais das informações e pontos de vista alheios, mantendo isso em mente é proveitoso a todos a diversidade de pensamento pois se torna um método de questionamento pessoal que gera conhecimento e experiência.


Sagrado Vampírico: Há aqueles que acreditam que o que leva pessoas a praticar o vampirismo de energia é derivado de uma doença no corpo etérico/espiritual dos vampiros, o que lhe impede a absorção normal de energia vital como o fazem todas as pessoas, obrigando-os a drenar de forma mais intensa a energia vital (prana) do meio ambiente e seres ao redor, consciente ou inconscientemente; e outros ao contrário que acham ser o vampirismo uma prática ocultista deliberada e consciênte, como o são a magia e a alquimia. O que pensa de tudo isto? Vampirismo é doença? Vampirismo é ocultismo? O que é ser um Vampiro Real para você? O que caracteriza um Vampiro Real?

Calista: É um tema pessoal este e particularmente não vejo o vampirismo como doença, a drenagem de energia acontece com alguém se auto intitulando vampiro ou não, a todo momento em todo lugar com qualquer um, a diferença é que os que se intitulam Vampiros Reais têm conhecimento dessa troca de energia e sabem como manipular e organizar em seu corpo essa energia recebida. Se o Vampirismo é ocultismo, sim ele é e também é científico e real, pois temos que lidar com as diferentes camadas de percepção e isso inclui os 5 métodos de percepção comum a todos mais o astral ou no caso o "sexto sentido" e conhecimento de outras dimensões.
Vampiro Real para mim é aquele que Vive a Vida e consegue ter uma visão mais ampla de si e do universo, não se limitando ao que "poderia" segurar seu crescimento interno tais como preconceitos, medos  e comodismos, mas buscando sempre melhorar e tendo em vista que é imortal, seja da mente ou do espirito ou ambos. Normalmente não pré caracterizo um Vampiro Real, e tenho o princípio de que se a pessoa está sendo verdadeira com ela mesma ótimo, se não ela está apenas mentindo para ela mesma, pois Vampiros Reais reconhecem os iguais e mesmo assim não necessitam de uma afirmação ou negação de outros. 


Sagrado Vampírico: Nos EUA e Europa as Houses e Ordens de Vampiros Reais geralmente aceitam um código de ética, se destacando o famoso Black Veil em suas diversas edições ou variantes. Vocês do Valsa Rubra têm ou seguem um código de ética? Pode haver ética no Vampirismo Real de energia?


Calista: O Valsa Rubra como projeto segue sim um código de conduta pela liberdade de suas publicações, e pelo seguimento das leis nacionais.

Sim pode haver ética no Vampirismo Real de energia e há, mas esta ética não é exatamente igual a ética do comportamento mortal e precisa ser vivida para talvez ser compreendida.


<<< VOLTA                                              PRÓXIMO >>>